Célia Regina Santana

Célia é graduanda em Bacharelado em Teologia pela FTSA. Ao lado de seu esposo experimentou o chamado missionário em tribos indígenas. Em meio ao sofrimento e a perda de seu companheiro, encontrou a sua vocação para o ministério com Deus. Acompanhe o seu relato emocionante.


Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel.” Isaías 41:10

Com este versículo, fiz uma aliança com meu esposo – Pr. João Carlos Neres Santana – perante Deus e, ao longo desses 31 anos, pudemos experimentar a realização desta promessa em nossas vidas.

Minha história começou na Primeira Igreja Presbiteriana Independente de Londrina, na qual conheci Cristo e desenvolvi a minha fé. O primeiro chamado que recebi foi aos 12 anos, quando aceitei o desafio missionário. Aberta a todas as possibilidades, exceto ao trabalho missionário indígena, fui surpreendida pelos planos do Senhor que podem ser diferentes dos nossos. Três anos mais tarde, minha família e eu mudamos para o norte do país, pois, meu pai era piloto e foi fazer voos nos garimpos, além de contribuir com o trabalho missionário realizado na região.

Aos dezessete anos, conheci e me apaixonei por um jovem missionário da Missão Novas Tribos do Brasil que, na ocasião, estava desenvolvendo contato com uma tribo que nunca tivera contato com “civilizados”, uma das tribos do povo Zo’é. Aprouve a Deus que nos casássemos e desde então, respondi ao meu chamado, auxiliando-o em seu trabalho missionário realizado em mais de cinco etnias diferentes, em diversas aldeias no norte do país e nos últimos anos, aqui no norte do Paraná. No entanto, sempre fui a esposa e sua auxiliadora.

Em 2014, meu esposo foi diagnosticado com câncer no estômago e, por isso, neste momento assumi integralmente o trabalho missionário, enquanto cuidava de sua saúde. Antes deste período, pensei em cursar teologia, mas, sempre relutei até que minha amiga Helaine Cichilli me incentivou a conhecer a Faculdade Teológica Sul Americana. Senti-me encorajada por minha amiga a buscar auxílio e conhecimento nesta faculdade.

Esta tem sido uma das melhores experiências em minha vida. Tenho sido imensamente abençoada com o aprendizado dispensado por meus mestres. Sou privilegiada por ser aluna de cada professor que passou em minha vida. Foram tempos de luta intnsa, me divindindo entre o cuidado com meu esposo, o trabalho missionário e as aulas na faculdade. Apesar das dificuldades, a instituição, os professores e meus colegas me deram todo o suporte neste período. Minha gratidão será eterna pelo apoio e carinho que recebi em uma das horas mais difíceis da minha vida.

Após quase um ano e meio de lutas, Deus recolheu meu esposo para perto dele e, assim, assumi de forma integral o ministério. Apesar das lutas, Deus tem me fortalecido a cada dia em Cristo e tenho experimentado a sua Graça neste momento de solidão e falta.

Minha vida é um testemunho, pois apesar de não merecer, tive um marido excepcional, com o qual pude conviver e aprender grandes lições sobre o trabalho missionário. Quando Deus chama, Ele cuidará de cada detalhe de sua vida, assim como tem cuidado de mim ao longo desses anos. Minha gratidão a Deus é eterna por ter proporcionado grandes experiências que forjaram o meu caráter e continuarei a desenvolver a sua obra até quando Ele assim o quiser.