fbpx
 
 
  • O sociólogo polonês Zygmunt Bauman (1925-2017) foi quem cunhou a expressão “tempos líquidos” para se referir ao estado da modernidade tal como ela se apresenta no século XXI. Enquanto alguns acreditam que vivenciamos uma “pós-modernidade”, Bauman defendia que ainda vivemos na modernidade, porém em seu estado líquido. Não temos mais as mesmas certezas, segurança e confiança, seja no indivíduo, seja na humanidade e no progresso do mundo tal como se viu na modernidade no século XIX, mas que começou a entrar em colapso ao longo do século XX.