fbpx
 
 

Abuso sexual de mulheres é uma realidade em todos os âmbitos da sociedade, especialmente em ambientes onde a premissa da confiança se faz presente, como nas relações familiares, em consultórios médicos e claro, também nos ambientes religiosos.

 Falar sobre isso ainda é difícil, especialmente para as mulheres que sofreram tal violência e, é por isso que iniciativas como a da Professa Vanessa Carvalho de Mello são tão valiosas para promover conscientização e reflexão sobre o tema.

Confira a seguir as informações e diretrizes que impulsionaram a Professora na sua Pesquisa Doutoral do Curso de Doutorado em Teologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, sobre o abuso sexual de mulheres em contexto religioso

 

Em 2019, 1 estupro ocorreu a cada 8 minutos

Grande parte dos relatos de abuso sexual em contexto religioso brasileiro se deram a conhecer a partir de denúncias noticiadas pelos veículos midiáticos. Estudos afirmam que entre os anos de 1994 até 2002, foram encontradas 203 matérias sobre 21 casos incluindo abuso sexual, estupro, má conduta sexual de líderes religiosos e infração de votos de celibato (JURKEWICZ, 2016).

Os atenuantes de abuso sexual em um país como o Brasil, onde 64,6% de pessoas se autodenominam católicas e 22,1% evangélicas (IBGE, 2010) são assustadores, haja vista os dados apresentados no 14º Anuário Brasileiro de Segurança Pública (2020) que apontaram para o fato de que ao menos 1 estupro ocorreu a cada 8 minutos no ano de 2019. Estes números evidenciam a necessidade de se desenvolver pesquisas, em torno ao contexto religioso evangélico, que sejam capazes de analisar as necessidades e realidades específicas das mulheres abusadas sexualmente, e de promover ações pertinentes por meio de uma Teologia Prática em sua orientação transformadora em vital conexão com a prática religiosa.

No Brasil, coletivos como o Evangélicas pela Igualdade de Gênero, cuja professora Vanessa Carvalho de Mello é vice coordenadora Nacional, desenvolvem ações interventoras no combate às violências em contextos religiosos, sobretudo com sua pertinência em Conselhos da Mulher, a exemplo da Conselho da Mulher do Município de Londrina, bem como no Conselho Nacional do Direito da Mulher.

 

Pesquisa doutoral do Curso de Doutorado em Teologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná.

Tema: QUANDO ELAS CONTAM SUAS HISTÓRIAS - CONTRIBUIÇÕES DA TEOLOGIA PRÁTICA NARRATIVA SOBRE O ABUSO SEXUAL DE MULHERES EM CONTEXTO RELIGIOSO

Em virtude da crescente repercussão dos casos de abuso sexual em contexto religioso brasileiro que vieram à tona por meio dos veículos midiáticos, torna-se imprescindível o desenvolvimento de pesquisas que proporcionem melhor compreensão sobre o tema. Sendo assim, através da abordagem narrativa, a pesquisa analisa relatos de abuso sexual de mulheres em contexto religioso, a fim de elucidar as experiências vividas e corroborar para o desenvolvimento de interpretações próprias de suas histórias e para a elaboração de histórias alternativas.

O que se entende por Teologia Prática Narrativa?
A Teologia Narrativa é uma forma de comunicar a mensagem cristã que destaca seu caráter histórico e experimental, pois seu último ponto de referência é a vida de Jesus, o Cristo, e sua aplicação ou dimensão prática na vida dos crentes. Por isso, é necessário um certo tipo de discurso - uma narração/narrativa, que se adapte a comunicação de mensagens e experiências de salvação.

Diante de uma concepção predominantemente racionalista e lógica da teologia, hoje se redescobre a importância das dimensões narrativas da existência humana e da mesma fé cristã que nasce da aceitação do relato histórico da vida e da Páscoa de Jesus de Nazaré. Daí a importância e atualidade da Teologia Narrativa, tanto para os setores pós-modernos como, especialmente, para os setores populares da América Latina que estão em sintonia com as narrativas de salvação. A Teologia Narrativa é também um método teológico que recupera o interesse por uma hermenêutica que procura captar o sentido da narrativa, para que esta, encontre um eco profundo no coração do ser humano.

Com este método, a pesquisa: QUANDO ELAS CONTAM SUAS HISTÓRIAS; analisará com profundidade as narrativas de mulheres evangélicas vítimas de abuso sexual desde a descrição do contexto, a escuta detalhada das descrições em contexto, a construção, descrição e desenvolvimento das interpretações das experiências em colaboração com os co-pesquisadores (participantes da pesquisa), a descrição das experiências à luz das tradições de interpretação, a reflexão sobre os aspectos religiosos e espirituais, especialmente sobre a presença de Deus e como esta é compreendida e experimentada em uma situação específica, a descrição da experiência sendo encorpada por meio da análise interdisciplinar, e por último, o desenvolvimento de interpretações alternativas que apontam para além do contexto religioso.

Objetivo da pesquisa:
Aplicar e desenvolver a Teologia Prática Narrativa como ferramenta teórico-prática de cuidado espiritual em contexto de abuso sexual de mulheres, com vistas à promoção da saúde integral e da prevenção desse tipo de violência em contexto religioso.

Resultados esperados:
Espera-se que os resultados da pesquisa contribuam para difundir o conhecimento sobre a Teologia Prática Narrativa como método de análise eficaz em temas como o abuso sexual em contexto religioso, o que permitirá a ampliação de novas técnicas de cuidado integral e acolhimentos às vítimas, bem como o estabelecimento de mecanismos denunciantes nas organizações religiosas, além de corroborar para que indicadores de Políticas Públicas sejam direcionados, sobretudo no que tange a uma nova tipificação de violência a violência espiritual/clerical.

Caminhos da pesquisa:
A pesquisa iniciou-se em 2020 e já conta com um extenso trabalho teórico e uma Revisão Integrativa de Literatura dos últimos 20 anos, que apresenta em seu resultado o caráter inovador do estudo desenvolvido pela professora Vanessa, dado à escassez de artigos, teses e dissertações encontrados com rigor científico sobre temas desta natureza, ou seja, estamos diante de um trabalho inédito!

Por se tratar de uma pesquisa envolvendo seres humanos, o estudo foi submetido ao Sistema CEP/CONEP (Conselho Nacional de Ética em Pesquisa) por meio da Plataforma Brasil. A Plataforma Brasil é uma base nacional e unificada de registros de pesquisas envolvendo seres humanos para todo o sistema CEP/CONEP.

A pesquisa de campo (entrevista com as mulheres) será realizada neste ano de 2021 e conta com a participação de 20 mulheres evangélicas que foram vítimas de abuso sexual em contexto religioso evangélico brasileiro.

 

Vanessa Carvalho de Mello - Doutoranda em Teologia pela PUC PR (2020), graduação em Teologia com Ênfase em Missão Urbana pela Faculdade Teológica Sul Americana (2005), mestrado em Psicologia Social / Intervenção Social e Comunitária pela Universidade Pública de Málaga (2014), pós-graduação em Saúde Mental pela Universidade Estadual de Londrina (2006) e Terapia Comunitária Integrativa pela Universidade Federal do Ceará (2007). Experiência profissional nas seguintes áreas: serviço público de saúde mental, organizações não governamentais e internacionais, docência no ensino superior, atuando em pesquisa principalmente nos seguintes temas: violência contra a mulher, saúde emocional e espiritual, interdisciplinaridade, prevenção e promoção de saúde, qualidade de vida e apoio social, questões de gênero, teologia social e feminista e psicologia da religião. Docente das disciplinas: Ética e Direitos Humanos, Psicologia da Religião, Culto e Liturgia e coordenadora dos projetos de Iniciação Científica: "Teologia Pública da Saúde e suas implicações para a fé cristã", "Violência e o Sagrado: estudos sobre Deus e a violência contra a mulher" , "Práticas teórico-metodológicas de produção historiográfica sobre teólogas brasileiras" e "Teologia Pública da Saúde" e pesquisadora do grupo de pesquisa "Religiosidade e Processos de Subjetivação da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Coordenadora do coletivo EIG Paraná que atua no âmbito da violência contra a mulher em espaços religiosos.

Contato: vanessa.carvalho@ftsa.edu.br