fbpx
 
 

Quem nunca se encantou com as histórias em quadrinhos? Este tipo de literatura, que se utiliza de linguagem verbal e não-verbal e muita imagem, também integra dezenas de artes reconhecidas para contar uma história. A narrativa sequencial estimula a imaginação e tenta levar o leitor para dentro do enredo, com seus personagens e suas onomatopeias.

Essa tipologia textual, em geral consumida por entretenimento, costumava ser rejeitada em espaços universitários e mantida à distância de projetos científicos. Mas, essa história vem mudando. Ao longo dos anos, é possível observar que a HQ vem ganhando maior apreciação, tornando-se também instrumento para divulgar e refletir temas, digamos, mais sérios. Exemplo disso, são as publicações da Editora Nemo que já abordou sobre autismo, síndrome de Down, Aids e outras temáticas sociais.

Para conhecer esse universo, lúdico, cultural, mas também de interpretação consciente da vida humana, a FTSA está realizando sua primeira Mostra de Histórias em Quadrinhos, sob o tema: O universo ambíguo da realidade. O projeto desenvolvido pela Coordenação de Pesquisa e Extensão estende a programação de exposições da Biblioteca, ficando aberta à comunidade de 4 a 29 de novembro, das 14 às 21 horas.

As obras expostas ao público são do estudante de teologia e colaborador da FTSA, Fábio Soares Costa. São oito coleções, totalizando mais de 100 volumes de HQs, na sua maioria em encadernações especiais e muitas delas premiadas. Entre exemplares de super-heróis e turma da Mônica, também se encontra títulos como: O diário de Anne Frank (Ed. Record), Não era você que eu esperava (Ed. Nemo), e outros.

Para explicar um pouco mais sobre a exposição, sua temática e a aproximação da HQ com a Teologia, o coordenador de Pesquisa e Extensão, Prof. Ênio Caldeira (graduado em Letras e mestrado em Teologia) respondeu algumas perguntas. Confira a seguir:

A que se deve o crescimento da HQ, nos últimos tempos, inclusive na abordagem de grandes temas sociais?
Este tipo de tipologia textual favorece a difusão de grandes temas porque reúne a escrita e a imagem em conjunto com produção de sentido e significado para o leitor. Não é somente pelo gosto da história com imagens, mas do enredo, dos cenários e do uso da imaginação, que é fonte criativa da interpretação lúdica e consciente acerca dos movimentos da vida humana.

Por que trazer uma exposição como esta para a faculdade de teologia?
Na FTSA, é a primeira vez que se entende a relevância deste tipo de leitura para o contexto da formação teológica. Enquanto a imagem juntamente com o texto produz interpretação imediata na HQ, a leitura de textos bíblicos requer esta criação. Por isso, a Bíblia em Ação também é uma resposta à demanda do público que aprecia HQ.
É possível encontrar nas HQs, assuntos acerca da vida, dos conflitos, das necessidades e das responsabilidades de liderança; temas muito integrados à teologia. Além disso, é uma oportunidade de conhecimento. A FTSA procura trazer, o que é também uma exigência acadêmica, o fomento da cultura para seus estudantes.

O que a HQ tem a ver com a teologia?
A princípio, a HQ tem que ser encarada como uma técnica de ensino. Afinal, os objetivos educacionais podem ser atingidos com maior rapidez se a literatura em quadrinhos for utilizada como recurso didático. O uso de imagens ilustra os grandes temas abstratos que compõem o pensamento teológico. A salvação, por exemplo, é ilustrada pela cruz; o perdão divino é contado por uma parábola de dois jovens e um pai; o grão de mostarda figura o crescimento e a grandeza do reino de Deus, entre outros. Assim como a igreja encabeça a missão de resgate da criação, os super-heróis são representações dos missionários que vão aos quatro cantos da terra promover transformações sociais. Da mesma forma que as pesquisas científicas oferecem respostas às limitações e doenças da humanidade, os quadrinhos tratam de temas sociais relevantes com alta aceitação e promoção de resultados, tais como: autismo, síndrome de Down, soropositivos, sexualidade, violência doméstica, etc. A metodologia por trás das HQs é o resultado layoutista de uma profunda reflexão sobre a realidade: método idêntico ao da teologia.

Por que o tema "O universo ambíguo da realidade"?
O título dado à exposição de quadrinhos é também fruto de uma reflexão sobre os desafios da teologia contemporânea e da prática pastoral. Ao ler um compêndio de teologia sistemática, o leitor precisa ser minucioso quanto à aplicação dos procedimentos de contextualização. Um conceito teológico nem sempre significa a apologia de uma doutrina. E um dogma não ilustra necessariamente o axioma da transformação de vida. Os quadrinhos são representações próximas do imaginário de redenção e de felicidade humana. No entanto, o enredo deles direciona para a compreensão de um outro mundo, de uma outra realidade e até mesmo de um outro universo. A Ilha Paraíso, por exemplo, é um lugar governado por Hipólita, a rainha das amazonas - uma sociedade genuinamente estruturada pelas relações da sororidade. Afinal, nesta ilha as mulheres são atléticas, empoderadas, competentes e hábeis no trabalho, respeitadas e direcionadas pela verdade (laço), defesa (braceletes) e transparência (avião invisível). A Mulher Maravilha revela ações pastorais acerca da relevância do trabalho feminino no resgate da sociedade. Na Ilha Paraíso ela pode sim fazer tudo isso, mas na igreja e na sociedade ela não tem espaço. É notório como os espaços influenciam a realidade do ser mulher!

Mostra de Histórias em Quadrinhos: O universo ambíguo da realidade
Data: De 4 a 29 de novembro de 2019
Hora: das 14h ás 21h 
Local: Biblioteca da FTSA
Entrada: aberto à comunidade