fbpx
 
 

Berço do protestantismo, a Europa hoje sofre com templos vazios e cristãos nominais. Não é novidade para ninguém que igrejas centenárias estão fechando as portas por lá. Qual tem sido o impacto da secularização pós-moderna sobre o cristianismo e suas denominações históricas? E no Brasil? Qual a relevância da igreja para os conflitos deste século?

 Desde 2016, um grupo de pastores e missionários independentes se dedicam a buscar respostas para estas e outras perguntas. Trabalham para desenvolver um amplo projeto que pretende analisar os efeitos da secularização pós-moderna no dimensionamento quantitativo e qualitativo de denominações protestantes no Brasil e na Europa. É o REPENSAR, que se propõe a (como o nome diz) repensar a atual situação da Igreja quanto ao seu estado, ortodoxia, vida comunitária e missão.

"O grupo deseja conhecer a realidade e desafios da igrejas europeias, uma vez que os relatos geralmente apontam para o drama do esvaziamento e fechamento de igrejas na Europa. Queremos saber o porquê disso. Também é necessário considerar que a igreja brasileira não está livre, em absoluto, desse processo secularizador e que, de uma forma ou de outra, já sentimos os mesmos efeitos", explica o Coordenador geral do Repensar, Alexandre M. A. Paiva.

A pesquisa inclui igrejas protestantes/evangélicas de tradição histórica e pentecostal-histórica (entre elas, Assembleias de Deus, Batistas, Metodistas e Presbiterianas). Cerca de 1 mil líderes serão entrevistados de forma presencial e online, observando como a secularização pós-moderna tem impactado suas igrejas. A amostragem segmentará as seguintes regiões : na Europa - Alemanha, a Inglaterra e o País de Gales e, no Brasil algumas capitais - Manaus e Rio Branco (Norte); Campo Grande, Goiânia e Brasília (Centro-Oeste); Vitória, Belo Horizonte e São Paulo (Sudeste); Curitiba e Porto Alegre (Sul); e Recife e João Pessoa (Nordeste).

Após a coleta de dados e o cruzamento das informações, o resultado será a publicação de um livro com toda a análise obtida. De acordo com o coordenador, o objetivo é publicar um livro que sirva de referência para líderes, agências missionárias, estudantes e outros pesquisadores nas áreas de teologia, missiologia etc. O documento deve revelar a compreensão e formas de intervenção dos entrevistados frente aos impactos trazidos pela secularização pós-moderna aos seus contextos de atuação.
Diante da grandeza do projeto, os pesquisadores do Repensar perceberam a necessidade de buscar ajuda para o seu desenvolvimento e, assim, convidaram o Prof. Dr. Jorge Henrique Barro, diretor acadêmico da FTSA, para contribuir com sua experiência.

"Pela natureza da pesquisa e necessidade de rigor científico, era necessário ter orientadores com sólida consciência cristã, larga vivência missional e notável currículo acadêmico. Isso nos levou a convidar o pastor Jorge Barro, diretor da Faculdade Teológica Sul Americana e ex-presidente da Fraternidade Teológica Latino Americana, a compor o quadro de orientadores do projeto, mais especificamente para ser orientador do contexto brasileiro. Sua orientação tem acrescentado maior clareza, discernimento e perspicácia ao projeto, bem como viabilizado contatos estratégicos na Europa", conta Paiva.

Para conhecer melhor o Projeto Repensar e saber como participar, acesse o site oficial - repensar.net. Lá é possível encontrar o link para a pesquisa eletrônica - O Impacto da Pós-modernidade Sobre a Igreja - da qual podem participar pastores e líderes das igrejas denominadas no projeto.

Para refletir sobre o que marca a pós-modernidade e sua influência na igreja, professor Jorge concedeu uma entrevista para o Repensar, na qual participa também o Pr. Hartmut Ziegler, pós-graduado na FTSA. “A secularização no Brasil vai fazer um grande favor para a igreja. Ela vai revelar de fato qual é a igreja de Deus e qual não é, qual é a igreja que está a serviço da missão de Deus e qual não está”, argumenta Barro no vídeo. Assista aqui>>