O que é ser casal na atualidade? A escolha do companheiro é uma decisão inconsciente? Diante das mudanças socioculturais que a sociedade enfrenta, perguntas como essas não parecem tão óbvias. Requer análises mais profundas. Assim como, oferecer respostas oportunas, imparciais e profissionais requer ainda mais habilidade do terapeuta ou conselheiro familiar.

O tema é tratado com propriedade no programa de aula do curso de Especialização Formação em Terapia de Casal e Família, no módulo “A escolha do cônjuge e o contrato conjugal’. O objetivo é refletir criticamente sobre o que é ser casal, especialmente na sociedade contemporânea, favorecer a identificação dos vários fatores socioculturais, transgeracionais e individuais que se inter-relacionam na escolha das parcerias afetivas (sejam elas, homo ou heteroafetivas). Abordar e tratar a conjugalidade, conscientizando-se da responsabilidade pessoal do terapeuta na co-construção, junto aos clientes, de novas formas viáveis e possíveis de ser e estar em relação.

Além de compreender os fatores que influenciam na escolha do parceiro, na formação do vínculo amoroso e no estabelecimento do contrato conjugal, o profissional na área de ajuda precisa articular tais especificidades, que se fazem presentes no momento da busca terapêutica, pois, é de fundamental importância para uma prática clínica eficiente. Dentro da grade de estudos também estão previstos os seguintes temas: O Contrato Conjugal explícito, implícito e inconsciente; Temáticas mais frequentes dos casais e Aportes teóricos úteis para maior compreensão da conjugalidade.

Para mais informações acesse o site e confira os requisitos para sua inscrição nesta Especialização do Instituto da Família.

foto:pixabay