fbpx
 
 

No dia 31 de outubro, data em que se celebra a Reforma Protestante, a comunidade cristã ganhará um novo canal de conteúdo focado em religião. A data relembra como a mídia e a comunicação foram relevantes para o movimento há mais de 500 anos e, nos desafia a pensar em como podemos assegurar de que essa mesma comunicação contribua para os propósitos do Reino.

Num cenário, cada vez mais crescente, de propagação de desinformação, das chamadas “fake News”, iniciativas como essa devem ser bem recebidas pela comunidade. Foi pensando nisso que, a organização Paz e Esperança e um grupo de jornalistas evangélicos, com o apoio de várias organizações, criaram o Coletivo Bereia. Usando o slogan “Separar o joio, guardar o trigo”, o novo projeto pretende ser um aliado também na checagem de notícias religiosas e pronunciamentos de políticos cristãos.

O nome faz referência a cidade grega, localizada na região da Macedônia, citada no livro de Atos dos Apóstolos (17.1-13), no Novo Testamento. O texto registra um elogio aos judeus de Bereia, que atendiam às reuniões promovidas pelos cristãos, não apenas para ouvir os ensinamentos, mas pela disposição que tinham de examinar as Escrituras, diariamente.

Equipe de especialistas

O conselho editorial do site é formado por cientistas sociais, teólogos e jornalistas. Entre eles, Joana Puntel, docente no curso de Especialização Cultura e Meios de Comunicação do Serviço de Pastoral à Comunicação (SEPAC) e autora do livro “Cultura midiática e igreja: uma nova ambiência”; o jornalista Sérgio Pavarini, idealizador do Pavazine - clipping semanal sobre política, religião, arte e cultura e do Pavablog; e a jornalista Marília de Camargo César, especializada em economia e negócios, autora de livros na área de espiritualidade cristã e histórias corporativas.

A edição executiva é de Alynne Sipaúba, jornalista, teóloga, integrante da equipe executiva da Paz e Esperança Brasil e graduada da FTSA. A editora geral é Magali Cunha, jornalista e coordenadora do Grupo de Pesquisa Comunicação e Religião, da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM). “O Bereia foi criado para somar. Sabemos que são muitas as várias iniciativas de agências, sites e coletivos que oferecem serviços diante da realidade tão desafiadora da propagação intensa de desinformação. No entanto, o Bereia quer oferecer uma especialidade ainda não desenvolvida por outro grupo: a checagem de notícias veiculadas nos espaços de mídias religiosas, que têm o público cristão como alvo, e a verificação dos pronunciamentos dos políticos religiosos que estão tão em evidência no cenário político hoje”, explica a editora, também membro da Associação Internacional em Mídia, Religião e Cultura e da Associação Mundial para a Comunicação Cristã (WACC).

Monitoramento constante

O conteúdo será atualizado diariamente por uma equipe formada por jornalistas e estudantes de comunicação. O material checado será identificado com as seguintes etiquetas: verdadeiro, impreciso, enganoso, inconclusivo e falso. Além das checagens, o site publicará artigos de opinião de especialistas na área de religião e comunicação.

Destaque para a seção “Torre de Vigia”, dedicada a monitorar notícias e pronunciamentos de pessoas que possuam mandato, ou ocupem cargos de confiança na gestão pública, e se identifiquem a partir de sua filiação religiosa. O Bereia monitora, por exemplo, os parlamentares da Frente Parlamentar Evangélica e da Frente Parlamentar Mista Católica Apostólica Romana. A equipe também torna disponível ao público um número de WhatsApp para receber solicitações de checagem (98-92000-7205).

Pode ser acessado no link www.coletivobereia.com.br. Nas mídias sociais Facebook, Twitter e Instagram: @coletivobereia. O lançamento será dia 31 de outubro às 18h com transmissão ao vivo no Facebook de Outras Palavras. https://www.facebook.com/outraspalavras/

Com informações do Coletivo Bereia – Juliana Dias