Humberto Lopes

Ele foi aluno da Graduação em Teologia Presencial na FTSA, um dos responsáveis pela criação do projeto “Timóteo” enquanto ainda estudante. Hoje, como Capelão da Força Real Canadense conta sua trajetória e em entrevista explica como desenvolve essa função. Confira:


Hoje pela manhã comentei com minha esposa como o tempo passa rápido. Minhas crianças são um testamento visível dessa realidade; é bonito vê-los crescendo e se desenvolvendo, é uma grande benção.

Já se passaram 15 anos desde que cheguei ao Canadá. Vindo diretamente de Londrina e deixando muitos bons amigos, tanto na cidade como na Faculdade Sul Americana.

Sinto saudades do tempo de estudos na FTSA.  Como aluno da primeira turma posso testificar que tudo o que a FTSA é atualmente era o sonho pelo qual orávamos a Deus. Hoje, a estrutura é outra, mas, a paixão continua acessa. O que era sonho virou realidade!

Durante meus anos de estudo na FTSA e na Universidade de Londrina, pastorei em Tamarana, trabalhei em Maringá e fui pastor auxiliar/licenciado na Oitava Igreja Presbiteriana com o Rev. Antonio Carlos. Na FTSA iniciamos, juntamente com outros alunos, o “Projeto Timóteo”, um ministério liderado por alunos cujo foco era missões e divulgação da FTSA. O Projeto Timóteo foi uma grande ferramenta de alcance e treinamento de estudantes na área de liderança e práxis missionária. De certo modo, foi por causa do Projeto Timóteo que as portas de um ministério no Canadá acabaram se abrindo tanto para mim como para Carlos e Meire Rosa. E aqui, posso dizer que minha experiência ministerial se solidificou.

Em Toronto, fui trabalhar com o Rev. Elias Dantas na recém-implantada Igreja Vida Nova. Depois de dois anos, o Rev. Elias foi dar aula nos EUA e eu fui convidado a pastorear a Igreja como pastor interino até a chegada do Rev. Ceny Tavarez. Graças a Deus, o trabalho se desenvolveu bem e fui convidado pela “Classis of Ontario” (o “Presbitério” da Igreja Reformada da América na Província) para plantar uma nova igreja. Aceitei o desafio e iniciamos a Igreja Reformada Nova Aliança. Plantamos e pastoreamos a Nova Aliança por 12 anos e hoje a igreja tem o privilégio de ter o Rev. Ricardo Quadros Gouveia, pastor presbiteriano e professor de teologia do Mackenzie, como seu pastor titular. 

Algo que procurei fazer, mesmo com todo esse trabalho, foi estudar. Com a graça de Deus, terminei meu Th.M, Mestrado em Teologia pela Universidade de Toronto – Wycliffe College. Um sonho realizado com a graça de Deus. Tenho em meu coração a vontade de continuar estudando e quem sabe fazer um doutorado. Quem sabe o Senhor não abre uma porta no futuro para eu trabalhar na área de educação na América Latina ou África? Quem sabe…

Como coordenador do escritório de relações étnicas e raciais da Igreja Cristã Reformada da América do Norte para o Canadá, meu trabalho tinha um foco educacional. Durante quase três anos trabalhei como coordenador, oferecendo workshops, visitando igrejas e desenvolvendo materiais de treinamento. Minha tarefa era treinar funcionários da denominação, missionários que voltavam para a América do Norte – EUA e Canadá – para reciclagem e workshops em igrejas locais. Também fui membro da liderança ministerial da CRCNA para o Canadá e procurei desenvolver parceria com capelães universitários a fim de oferecermos cursos de Inteligência Cultural e Programas contra racismo entre outras coisas.

Durante meus anos de pastorado aqui, estive e estou bem envolvido na área de crescimento e plantação de igrejas. Tive o privilégio de ser presidente da comissão de plantação de igrejas e desenvolvimento da Classis de Ontario por cerca de seis anos. Precisamos de plantadores de igrejas!

Atualmente, inicio um novo capítulo como Capelão da Força Real Canadense. Estou grato a Deus por esta grande oportunidade e grande desafio também. Oro ao Senhor para que Ele continue com sua misericórdia e capacitação afim de que possamos ser sal e luz em meio a milhares de famílias que servem a Força Real Canadense.

Sou grato a Deus por tantas oportunidades de trabalho. Os desafios são enormes, mas, Deus é fiel. Poderia compartilhar ainda muitos outros projetos e parcerias de trabalho nestes anos no Canadá. Quem sabe um dia quando tiver a oportunidade de visitar a FTSA novamente.

Olhando para traz, visualizando o presente e sempre sonhando com o futuro, afirmo que me sinto grato a Deus por toda a sua bondade e direção. O Senhor tem me ensinado a perseverar e a entender que realmente nossas vidas estão em suas mãos e nosso ministério pertence a Ele. Tenho o privilégio de ser um colaborador, um servo seguindo a Jesus como testemunha de sua imensa graça sobre nós.

Louvo a Deus pela FTSA e pelos grandes amigos que lá deixei.

Shalom, 

Humberto Lopes


1 – Como surgiu esta oportunidade de ser capelão da força real canadense?

Depois de 13 anos trabalhando como pastor local e na área de educação eu estava pensando em uma mudança na direção de meu ministério. Então, tudo começou com uma conversa com um amigo que eu não via fazia algum tempo e que, para minha surpresa, estava trabalhando como capelão da Força Aérea Real Canadense. Fiz várias perguntas e ele me encorajou a iniciar o processo junto à Força Canadense.

2 – Explique o que é exatamente esta função.

O capelão é um oficial da Força Canadense, com a patente de Capitão. Nossa tarefa inclui várias coisas: aconselhamento, intervenção, ajuda em questões de crise familiar/pessoal, pastoreio da comunidade/igreja da Base, etc. Enfim, temos um ministério de presença entre os membros da Força Canadense em todos os escalões, do recruta ao general.

3 – Como membro das forças armadas, mesmo que seja no cargo de capelão, existe a possibilidade de servir em guerras?

Todos os membros da CF precisam estar prontos para servir o Canadá e defendê-lo. O Capelão não vai para a frente de batalha, não carregamos arma, mas servimos as tropas em seu trabalho. Servimos os que vão e as famílias que ficam.

4 – O que esta oportunidade representa para você que sempre atuou como pastor de igreja?

Ainda estou no início desta nova etapa, tenho muito que aprender e observar. Entretanto, creio que o capelão tem uma relação um pouco diferente com as pessoas com as quais ministramos. O objetivo, não é o crescimento da comunidade local, mas sim o serviço e o testemunho em nome Jesus. Creio que a capelania abre portas para um trabalho de testemunho e serviço em meio a pessoas que exercem sua profissão dentro de uma realidade onde há pouca conversa de faz de conta. Gente que se encontra na linha de frente, gente que entende que há possibilidades de risco da vida, gente cuja missão principal é servir. E algo que aprendemos com Jesus é o serviço, Ele é o “Pastor por Excelência”.

Assim, o trabalho da capelania em geral – aconselhamento, por exemplo – é desenvolvido em equipe.  Outros aspectos do ministério são desenvolvidos separadamente, por exemplo as congregações católicas e protestantes se reúnem separadamente aos domingos. Há também um crescente número de membros da CF de outras religiões, mas a grande maioria se enquadra na categoria de pessoas que raramente vai há uma igreja.

5 – As forças armadas canadenses oferecem oportunidades similares para imigrantes?

Há muitas oportunidades na CF – Canadian Forces. Muitas oportunidades de educação e de carreiras. Cozinheiros, engenheiros, pilotos, médicos, construção, capelania, administração, etc. Geralmente, muitos imigrantes chegam com uma imagem muito negativa quando se fala em servir nas forças armadas ou mesmo como Policial, Bombeiro, etc. A primeira coisa que pensam é em guerra ou em governos ditatoriais onde o exército manda. Mas, vale lembrar que servir na CF é visto como algo muito honrado e valorizado no Canadá. A CF tem como fundamento, por exemplo, representar, proteger e ser parte integrante dos valores democráticos do Canadá. Entretanto o imigrante precisa se tornar cidadão canadense e entrar no processo de seleção. Vale a pena, eu recomendo.

Humberto Lopes, nascido em Ituiutaba (MG) em 1971, é casado com Fabricia, pai de uma menina de 9 anos e de um garoto de 6, Amanda e Lucas. Bacharel em Teologia B.Th pela Faculdade Teológica Sul Americana, Bacharel em Ciência Sociais B.C.S pela Universidade Estadual de Londrina, Mestre em Teologia Th.M pela Universidade Toronto – Wycliffe College e atualmente, Capelão da Força Real Canadense.