Não é distância social, conexão social.
8 de abril de 2020
A maternagem em tempo de distanciamento social
29 de abril de 2020

Tempo do tempo

REFLEXÃO – Em tempos de coronavírus – 

Pensei, como psicóloga, em escrever sobre o que estamos vivendo. Mas, coisas tão úteis e pontuais já foram escritas. O pessoal da saúde nos orientou. As orações afloraram de novo em nossos lábios. Os filósofos voltaram à mídia. Estamos plenos de palavra. Para que mais palavras então?

Eu estava decidida a não escrever, quando um vento a pouco, anunciou a chuva que vem vindo. O vento me trouxe ao jardim, que fica de frente para a rua. E eu de repente me senti viva. Não estava correndo para fechar as portas. Não havia urgência, só o vento. Porque esse tempo de ameaça, me confinou em mim. E essa humanidade que nos define, mas fica encoberta pelas horas corridas, de repente apareceu ali.

Me sentei no banco velho que esteve no jardim da minha mãe. Olhei o caramanchão acima de mim, como um céu de folhas antes do céu. E enfim entendi quando me disseram: respira.

Respirei. Estava eu ali pulsando. E não havia muito mais a ser feito que seguir vivendo. O tempo me pegou pela mão e me levou devagarzinho. Entre o vento repentino e a chuva que nem veio, descobri o que era descansar no colo de Deus. Foi o tempo que me disse.

Experimente também!

M. Renata Machado
Psicóloga (CRP 06/10661). Bauru, SP.
Doutora em Psicologia Clínica. Mestre em Psicologia Social.
Especialista em Psicologia Clínica. Especialista em Terapia Familiar e do Casal.
Pós-graduada em Gerontologia Social.
Docente convidada Especialização: Formação em Terapia de Casal e Família

 

1 Comment

  1. Elane Alves Azevedo disse:

    Palavras doces e sábias. Me fez respirar fundo e pensar…. estou viva e vendo tudo pela janela, vejo o sol, a grama, vejo o céu azul, vejo a chuva, a tempestade, vejo a esperança e a certeza que sairemos melhores quando as janelas e as portas se abrirem,. Sairemos prontos para contar nossas histórias para os menores. Contar como crescemos e descobrimos que não somos felizes sozinhos, que sozinhos não somos nada. sabe? agora que me sinto mais viva e um pouco mais feliz, quero muito dividir minha vida e meus sentimentos, principalmente com meus amores, mas também com meus amigos e com todos que estiverem a minha volta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *