fbpx
 
 

500 ANOS DA PRESENÇA PROTESTANTE NO MUNDO
- 31 de outubro de 1517 a 31 de outubro de 2017 –

por Jorge Henrique Barro

Hoje, 500 anos depois, é fácil nos apropriarmos das cinco afirmações centrais da Reforma.

Mas de modo algum podemos ignorar que muitas pessoas enfrentaram terríveis perseguições e até a morte para estabelecer esses postulados para a chamada Igreja Protestante. Há muitos cristãos que nunca ouviram falar destes cinco Sola ou outros que talvez ainda não entenderam.
Vejamos cada um dos cinco fundamentos da Reforma:

4. Solus Christus – Somente Cristo

Solus Christus enfatiza que a salvação somente pode ser achada por meio da morte e ressurreição de Cristo. A Escritura não abre outra porta ou outro caminho fora de Jesus Cristo!

Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim (Jo 14:6).

Essa resposta surge porque Jesus disse que eles sabiam o caminho: “E vós sabeis o caminho para onde eu vou”. Mas isso não claro para eles, especialmente para Tomé: “Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; como saber o caminho?” E foi nesse contexto que Jesus disse: “eu sou o caminho”.

O caminho para o Pai não é um conjunto de verdades, uma série de exercícios espirituais, uma local ou igreja, ou um conjunto de promessas a cumprir. O caminho trata-se de uma pessoa que pavimentou o meio para alguém chegar a Deus: Jesus Cristo crucificado, morto e ressurreto!

Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, o qual a si mesmo se deu em resgate por todos (1 Tm 2:5-6).

E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida (1 Jo 5:11-12).

Fora de Cristo não existe salvação. Se Deus tivesse outro modo de salvação aparte de Cristo qual seria a necessidade de um sacrifício humano, seu próprio Filho?

Cristo foi e é a única pessoa que poderia satisfazer a ira de Deus contra a humanidade. Em Cristo todos os pecados da humanidade foram imputados nEle e Ele se fez pecado, sem jamais ter pecado, por amor a Deus e a nós.

Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus (2 Co 5:21).

Isso tudo com a finalidade de que “em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus” (2 Co 5:20).

Solus Christus!

Veja também:

Jorge Henrique Barro - É doutor em Teologia pelo Fuller Theological Seminary (Pasadena. Califórnia – USA). Fundador e professor da Faculdade Teológica Sul Americana de Londrina e avaliador do MEC para Teologia.