Palavras de Graça

“Todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das palavras de graça que lhe saiam dos lábios…”

1. Palavras que BUSCAM O BEM DOS OUTROS (Lc 5:12-13) – Leproso
“Eu quero que você fique limpo da lepra”

Se queremos que nossas palavras busquem o bem dos outros, então precisamos encharcar e nutrir nosso coração de BONDADE. Então, será uma demonstração prática que temos sim palavras de graça para oferecer.

2. Palavras que PERDOAM (Lc 5:20) – Paralítico
“Homem estão perdoados os teus pecados”

Se queremos que nossas palavras expressem o perdão, então precisamos encharcar e nutrir nosso coração de PIEDADE. Então, será uma demonstração prática que temos sim palavras de graça para oferecer.

3. Palavras que ENCORAJAM (Lc 7:9) – Centurião
“Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta”

Se queremos que nossas palavras expressem encorajamento, então precisamos encharcar e nutrir nosso coração de ALEGRIA PELAS VITÓRIAS DOS OUTROS. Então, será uma demonstração prática que temos sim palavras de graça para oferecer.

4. Palavras que SALVAM (Lc 7:9) – Mulher enferma
“Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz”

Se queremos que nossas palavras expressem salvação, então precisamos encharcar e nutrir nosso coração de AMOR AOS PERDIDOS. Então, será uma demonstração prática que temos sim palavras de graça para oferecer.

5. Palavras que GERAM ESPERANÇA (Lc 7:9) – Jairo
“Mas Jesus, ouvindo isto, lhe disse: Não temas, crê somente, e ela será salva”

Se queremos que nossas palavras gerem esperança, então precisamos encharcar e nutrir nosso coração de FÉ EM MEIOS AS DIFICULDADES. Então, será uma demonstração prática que temos sim palavras de graça para oferecer.

6. Palavras que PRODUZEM ENSINO (Lc 11:5) – Discípulos-Pai Nosso
“Então, ele os ensinou: Quando orardes, dizei…”

Se queremos que nossas palavras produzam transformação, então precisamos encharcar e nutrir nosso coração da PALAVRA DE DEUS. Então, será uma demonstração prática que temos sim palavras de graça para oferecer.

7. Palavras que DESPERTAM O INTERESSE (Lc 11:37; 15:1) – Um Fariseu
“Ao falar Jesus estas palavras, um fariseu o convidou para ir comer com ele; então, entrando, tomou lugar a mesa”
“Aproximavam-se de Jesus todos os publicanos e fariseus para o ouvir”

Se queremos que nossas palavras despertem o interesse das pessoas, então precisamos encharcar e nutrir nosso coração com DE DEUS E DAS COISAS DE DEUS. Então, será uma demonstração prática que temos sim palavras de graça para oferecer.

8. Palavras que CURAM (Lc 13:12-13) – Uma possessa de um espírito de enfermidade, encurvada a 18 anos
“Vendo-a Jesus, chamou-a e disse-lhe: Mulher, estás livre da tua enfermidade; e, impondo-lhes as mãos, ele imediatamente se endireitou e dava glória a Deus”

Se queremos que nossas palavras promovam cura, então precisamos encharcar e nutrir nosso coração de FÉ NO DEUS DOS IMPOSSÍVEIS. Então, será uma demonstração prática que temos sim palavras de graça para oferecer.

9. Palavras que EXPRESSAM SABEDORIA (Lc 20:26) – A questão do tributo a Cesar
“Daí, pois, a César o que é de César e a Deus o que de Deus”

Se queremos que nossas palavras expressem sabedoria, então precisamos encharcar e nutrir nosso coração de DISCERNIMENTO ESPIRITUAL. Então, será uma demonstração prática que temos sim palavras de graça para oferecer.

10. Palavras que CONSOLAM (Lc 24:36) – Jesus aparece aos discípulos após sua ressurreição
“Falavam ainda estas coisas quando Jesus apareceu no meio deles e lhes disse: Paz seja convosco!”

Se queremos que nossas palavras expressem consolo, então precisamos encharcar e nutrir nosso coração de MISERICÓRDIA NA DOR E SOFRIMENTO DO OUTRO. Então, será uma demonstração prática que temos sim palavras de graça para oferecer.

Conclusão:

A Bíblia esta repleta de passagens, incentivando-nos assim:

• A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um (Cl 4:6)
• As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, Senhor, rocha minha e redentor meu (Sl 19:14)
• A boca fala do que esta cheio o coração (Lc 9:45b)
• Todo homem (pessoa), pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar (Tg 1:19)
• A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira (Pv 15:1)
• O homem se alegre em dar resposta adequada, e a palavra a seu tempo, quão boa é! (Pv 15:23)
• Como prata de ouro em salvas de maça, assim é a palavra dita a seu tempo (Pv 25:11)
• Porque, como na multidão dos sonhos há vaidade, assim também, nas muitas palavras (Ec 5:7)

Se “a boca fala do que esta cheio o coração” (Lc 9:45b), então precisamos concordar que se o nosso coração esta encharcado e nutrido de graça, então nossa boca falará de graça. Mas por outro lado, se nossas palavras expressam amargura, falta de fé, criticismo ácido, culpa, desespero, frustração e coisas do tipo, então estas coisas por si só são uma evidência clara da ausência de graça nos nossos corações.

Eu (e quem sabe você também) estou longe de ser essa pessoa. Eu muitas vezes fico pensando que tipo de testemunho eu passo para as pessoas. Será que as pessoas testemunham que eu sou um cristão cheio de graça. Será que eu sou uma referência do amor, da bondade, da misericórdia, da compaixão de Deus para os outros.

Nosso texto nos informa que todos davam testemunho e se maravilhavam das palavras de graças que lhes saiam dos lábios de Jesus.

Jesus ficou conhecido por:

– BUSCAR O BEM DOS OUTROS (BONDADE)
– PERDOAR (PIEDADE)
– ENCORAJAR (ALEGRIA PELAS VITÓRIAS DOS OUTROS)
– SALVAR (AMOR AOS PERDIDOS)
– GERAR ESPERANÇA (FÉ EM MEIOS AS DIFICULDADES)
– PRODUZIR ENSINO (PALAVRA DE DEUS)
– DESPERTAR O INTERESSE (DE DEUS E DAS COISAS DE DEUS)
– CURAR (FÉ NO DEUS DOS IMPOSSÍVEIS)
– EXPRESSAR SABEDORIA (DISCERNIMENTO ESPIRITUAL)
– CONSOLAR (MISERICÓRDIA NA DOR E SOFRIMENTO DO OUTRO)

E nós, somos conhecidos por quais coisas? Que o exemplo e a vida de Jesus nos seduzam para que sejamos conhecidos por sermos pessoas encharcadas de palavras de graça.

Jorge Henrique Barro é Doutor em Teologia pelo Fuller Theological Seminary (EUA) – Professor e Responsável pelo Departamento de Desenvolvimento Institucional (DDI) da Faculdade Teológica Sul Americana – Foi Presidente da Fraternidade Teológica Latino Americana (Continental) – Avaliador do MEC para Teologia